Seguidores, siga-os também... vale a pena

It's Really true!! Funciona mesmo!!

Curta! Enjoy it!
O mundo com olhar de criança...


Lembre-se de visitar os blogs parceiros e amigos, podendo acompanhá-los a partir deste blog, na seção abaixo dos posts.
Confira os vídeos!
Sinta-se à vontade!

Sua opinião é muito importante, por isso mesmo, comente!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Secretário Geral da ONU escreve mensagem para o Dia Mundial das Famílias

Secretário Geral da ONU escreve mensagem para o Dia Mundial das Famílias
Nesta terça-feira, 15 de maio, o mundo inteiro celebra o Dia da Família. Em 1993, a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) proclamou essa data como Dia Internacional da Família. Desde então, a ONU tem celebrado este dia chamando a atenção para determinadas questões que influenciam o dia a dia da Família, como forma de reconhecer o papel nuclear da família na sociedade e de impulsionar a adoção de medidas no plano nacional e internacional para melhorar a condição da família.
O ano 1994 foi proclamado, pelas Nações Unidas, o Ano Internacional da Família. O seu tema foi: "Família, Capacidades e Responsabilidades num Mundo em transformação", declarando a família como "a pequena democracia no coração da sociedade".
"É na família que o homem se realiza como filho, esposo e pai”. Foi o que disse o Papa Bento XVI ao receber, no Vaticano, os participantes de um encontro promovido pelo Instituto João Paulo II de estudos sobre o matrimônio e a família (13/05/2011).
O Instituto foi fundado pelo Papa João Paulo II exatamente trinta anos atrás, junto com o Pontifício Conselho para a Família. Hoje, está presente em todos os continentes, engajado no estudo, pesquisa e difusão das catequeses sobre o amor humano.
O Dia Internacional da Família é comemorado em diversos lugares no mundo. Por exemplo, neste ano, em Portugal, várias entidades celebraram a data, com atividades lúdicas, espetáculos e iniciativas de caráter social, de norte a sul do país, destacando a importância das famílias na sociedade.

Numa mensagem, escrita pelo Secretario Geral da ONU, Ban Ki-Moon, destaca-se a dedicação com a relação dos núcleos familiares com o mundo do trabalho, num momento de crise econômica e financeira.
A mensagem do secretário geral da ONU vai ao encontro do tema do próximo Encontro Mundial das Famílias “A família: o trabalho e a festa”, que acontece entre os dias 29 de maio a 3 de junho próximos, em Milão, Itália.



quarta-feira, 9 de maio de 2012

Passo certo?

Será que tenho andado pelos caminhos certos? Cada passo que dou, é um passo apenas meu, ou é um passo direcionado por Aquele que Me Amou Primeiro? Esses passos seguem os meus sonhos... Sim, andam em direção a estes sonhos. Mas, onde nasceram estes sonhos? E cada passo que dou, o que tenho deixado para trás? A cada passo que dou, quem tenho deixado para trás? O que é realizar um sonho, caminhar até ele, mas, ao final, verificar que os passos que dei foram passos que pisaram em outros sonhos, e em outras pessoas? Prefiro viver uma fé que me aproxime das pessoas, e assim, começo a entender a vontade de Deus em minha através dos relacionamentos (com Ele, comigo e com o próximo). Como escutar o próximo se não há um próximo real? Como escutar um próximo virtual?
Como me lançar em meus projetos se, quando precisar, não terei uma mão que me segure para não esfolar o rosto no chão ao descobrir que o sonho era, na verdade, uma miragem? Mas uma mão de verdade, que caminha junto... Junto se descobre a realidade ou a virtualidade de um caminho... Será que tenho andado pelos caminhos certos?
Se esse caminho for um caminho de solidão e individualismo, estarei completamente desorientado.
Se os passos me levam mais perto do próximo, e se me levam mais próximo de Deus, posso estar no caminho, mas somente se esse caminho se chamar Amor...

sábado, 3 de março de 2012

Confesso diante do espelho...

photo by Yuri Steinhoff

Confesso... Confesso sim que tenho sido um pecador... Confesso que errei.

Errei com as pessoas, ó Pai. Deixei marcas em suas vidas que não tenho mais como consertar. Tanto amor declarado, mas tanto desamor praticado...
Errei contigo, meu amado Deus, a quem eu devia minha entrega total... Deixei-o triste, deixei-o perplexo.
Mas não posso deixar de admitir que errei contra o templo do Espírito: pequei e errei contra mim...

Errei em minhas decisões em seguir a vida de acordo com minhas paixões, meus desejos, meus sonhos, meus sabores, meus deleites. E agravo ainda mais minha culpa por achar (e fazer os outros também acreditarem) que fazia isto através da Tua direção... Dizia-me cheio do Espírito Santo de Deus, mas enchia-me com minha própria vaidade, travestida de humildade e de bom-mocismo.
Dizia-me, dominicalmente, arrependido em momento cúltico, mas não aprendi o que é transformação. Se aprendizagem é processo que gera mudança, nada aprendi...

Confesso... Confesso a Ti, meu Pai...

A vida pode ser um descaminho, tortuoso descaminho... é assim que venho trilhando, tortuosamente e sem me dar conta desse andar quase como de um bêbado a cair em uma sarjeta, sujo, imundo pelo pecado, e fedido por transpirar tanta hipocrisia... Sim, um bêbado, que não sente mais os seus passos firmes, sente-se prestes a tropeçar em qualquer obstáculo. Fragilidade, inutilidade. Perdendo o sentido de direção. Achando estar caminhando em linha reta, porém, cada passo é um passo incerto.

De tantas consequencias vejo-me preso em gueto escuro esperando a violência me alcançar, não a violência urbana, mas aquela mesma interior, de se consumir, de se desesperar...
Mesmo em um gueto escuro, consigo enxergar um pequena luz que sempre me seguiu, e me protegeu. A Tua luz sempre esteve à minha frente, mesmo que eu não a percebesse, ó Pai. Dizia ao mundo que a percebia, mas, o que via, era apenas uma falsa vontade de vê-la e de Te conhecer.

Mas as consequencias deixam marcar profundas em nós, e ao olhar para o espelho da vida, não me vejo mais, apenas vejo as feridas que deixei, os caminhos que perdi e as portas que se fecharam.

Confesso... Confesso e entendo o que é o arrependimento...

Me coloco diante da Tua misericórdia e peço-te que me ensine, ao mesmo tempo, me eduque a buscar um arrependimento verdadeiro, um arrependimento sincero. Sinto que devo me arrepender diante de Ti! Mas como? Apenas pedindo? Apenas me confessando? Apenas colocando diante de Ti tudo aquilo que já sabes?

"e tudo o que não provém de fé é pecado" (Rm 14.23)

De repente, vejo que nunca cri de verdade, nunca tive fé o suficiente. Mas agora entendo! "Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é, em nós, aperfeiçoado. " (IJo 4.10-12)

Sinto o Amor de Deus... Quero sentir o Teu perdão ó Pai!

Hoje posso até querer refazer tudo o que fiz de errado, reconstruir o que derrubei. Será possível? Não sei, não tenho essa resposta. Só sei, agora, o que é arrepender-se. Arrependo-me. Arrependo-me.

As consequencias estão em minha frente. As consequencias estão pesando, está ficando difícil carregá-las, aguentá-las. Preciso do seu sustento, ó Pai. Preciso Te sentir, meu Salvador.
Tu vieste para que eu tenha vida, e vida em abundância, e essa vida em abundância começa agora, aqui, já... Porém, o salário do pecado é a morte... e tenho pecado, ó misericordioso Pai... tenho pecado até agora... O que me resta então?

Mas, de súbito, sinto que queres me perdoar! Sinto que posso ser perdoado! Sim, eu creio na Tua Palavra, e a Tua Palavra é Vida!
"Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade;  e, segundo a multidão das tuas misericórdias,  apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que te comprazes na verdade no íntimo e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário". (Sl 51.1-12).

É isto Senhor! Eu Creio nesta Palavra! Eu creio na Tua Palavra!


"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós". (1Jo 1.9-10)


Lava-me...


Creio, meu Pai, que Tu me Perdoas...


Me perdoaste... Peço-te que me guies, me guies em cada passo que eu der... e que a Tua Glória seja manifestada em mim, em nós...


Tu me perdoas, meu Pai, Tu me perdoas...


Tudo se faz novo, de novo...






segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Feliz Ano pela frente!


photo by Yuri Steinhoff, on Mongaguá, SP
É verdade, Deus está em todos os lugares... E não porque em todo canto que você olhar vai ter alguma coisa escrito: Deus é fiel, ou Jesus Salva, e similares; mas porque em todos os lugares há vida, e Deus precede a vida. Sim, a vida, que precede nosso amor, porém, não precede o Amor Dele, que primeiro nos amou. É, "nós o amamos a Ele porque Ele nos amou primeiro"(I Jo 4.19), ou deveríamos amá-lo, e também nos amarmos uns aos outros, não somente em palavras, mas, principalmente em ação. Por isso, nesse ano que começa, paremos um pouco e reflitamos sobre nosso discurso e sobre nossa prática: são coerentes e compatíveis? O quanto tem demonstrado esse amor? Pode ser apenas uma leve impressão, ou mesmo imprecisão, que tenho, mas, como tudo ultimamente, a palavra "amor" está, também, sendo banalizada. Muito se ouve: eu te amo, eu te amo em Cristo, e blábláblás... Mas e o amor que é demonstrado em ações, em obras? "Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito. Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo" (Tg 1.25-27). Disse John Wesley certa feita: "sou salvo, por isso pratico as obras". Quem ama, pratica esse amor, e em todo tempo. "Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem. Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada. E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus. Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé. E de igual modo Raabe, a meretriz, não foi também justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho? Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta". (Tg 2.14-26). Fica claro que aquele que tem fé, ama o próximo, e por amar este proximo ("E quem é meu próximo?" Lc 10.29) está junto a este próximo (que não está longe, por sinal... óbvio, mas esquecido...). Aquele com necessidades é o seu próximo? Sim, da mesma forma que quem mora contigo também é o seu próximo e necessita d seu amor; da mesma forma que seu vizinho, os do seu bairro, aqueles da sua comunidade de fé. Há muitos próximos que necessitam de amor, e lembrando que você também é um "próximo". Amar ao próximo como a ti mesmo (Mt 22.39). O amor que nos faz caminhar corretamente, que nos faz agir em direção a outrem, que nos faz olharmos para nosso espelho e nos enxergarmos, que nos possibilita a vida, e nos faz sentir o amor daquele que primeiro nos amor e nos deu vida, e vida em abundância. Quer um bom ano?
Ame...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Me aventurando...

Comprei uma câmera fotográfica... finalmente; não é profissional e nem semi, mas tô curtindo muito ela, é uma Kodak Z990 http://store.kodak.com/store/ekconsus/en_US/pd/productID.221644300

Então, quando tiver umas fotos bacanas, começarei a postá-las!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...