Seguidores, siga-os também... vale a pena

It's Really true!! Funciona mesmo!!

Curta! Enjoy it!
O mundo com olhar de criança...


Lembre-se de visitar os blogs parceiros e amigos, podendo acompanhá-los a partir deste blog, na seção abaixo dos posts.
Confira os vídeos!
Sinta-se à vontade!

Sua opinião é muito importante, por isso mesmo, comente!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Ouvir... escutar... tanto faz! Ninguém pratica nenhum deles mesmo!!

Digo isso pois às vezes observo as pessoas "conversando". "Seria cômico se não fosse trágico", por mais piegas que é essa frase, ela se encaixa aqui.
Não há vírgulas nos monólogos a dois. Sim, monólogos a dois, pois quando um fala, é como se estivesse falando sozinho, pois o outro não o ouve, nem ao menos escuta. Simplesmente as pessoas esperam o momento da respiração do falante-sem-parar e disparam a falar-sem-parar. E enquanto um fala, o outro não pensa naquilo que está sendo dito, mas sim naquilo que irá falar - mesmo que, muitas vezes, é uma repetição do que acabou de ser dito! Reparem por aí, seja no trabalho, na rua, na escola, no ônibus... é raro um diálogo hoje em dia.

Se bem que, reparando nessas conversas, os assuntos não são muito para pensar mesmo. É muita futilidade esparramada! Parece um twitter real. No twitter só tem bobeira tuitada: o cara vai ao banheiro e tuita: tô indo no banheiro; a pessoa ´ta com dor de cabeça e tuita isso; tá sem fazer nada, tuita: tô de bobeira; ´tá trabalhando, tuita (mentindo, pois se estivesse trabalhando, não estaria tuitando); e por aí vai. Falamos sobre isso, essa futilidade virtual, hoje (27 de abril) na tutoria, com o Prof Luiz Carlos Ramos; inclusive conversamos sobre a imposição dos assuntos das futilidades semanais pela mídia. Mas não falemos sobre isso. Pensemos nas bobeiras do twitter (salvo raras exceções), um monte de besteira dita, todo mundo lê, mas ninguém pensa sobre, e já tuita logo em seguida outra bobeira, as vezes conexo, e quase sempre desconexo. Assim são os diálogos, ops, monólogos a dois, de hoje, da contemporaneidade. Frases curtas, inexpressivas, e jogadas ao vento, ou na rede.

2 comentários:

  1. Yuri.. que saudades!
    Vim aqui ler seus textos... e dou de cara com este que ninguém escuta, nem ouvi nada! Parei para repensar minha postura em uma conversa, realmente eu tenho este defeito, sou assim! rsrs Tentarei mudar... Neste caso não é um diálogo, é cada um falando o que quer sozinho!
    Quanto ao twitter, são poucas as pessoas que o usam como a ferramenta com sua real funcionalidade, que eu creio que seja de postagens rápidas sobre acontecimentos marcantes?, sobre sua profissão, trazendo informação e atualizando os twitters...

    Seu blog é ótimo... ;)
    Beijos e saudade

    ResponderExcluir
  2. Engraçado... por algum motivo caí de paraquedas hoje neste post, justamente no dia em que comentei com alguns familiares sobre isso, das pessoas falarem e não escutarem.... elas simplesmente falam aquilo que estão condicionadas a falar...
    Tenho percebido esta situação à tempos, e desde então costumo fazer algumas "pegadinhas" com as pessoas... para faze-las parar para ESCUTAR e PENSAR no que ouvem e falam...
    Normalmente quando alguém nos encontra, costuma-se acontecer o seguinte diálogo:
    Olá, tudo bem...
    Tudo e você?
    Tudo também....

    mas dizemos isso, apenas porque desde que nascemos fomos condicionados a dizer isso, e sequer sabemos porque dizemos, então é aí que há a oportunidade de agir...
    Ao perguntarem: "Olá, tudo bem?"
    responda "Não"... normalmente a pessoa automaticamente responderá: "bem tbm" ou "que bom, eu tbm"... mas aí você olha em seus olhos e ela vai perceber que automaticamente respondeu algo que nem escutou, e que muito menos houve uma pergunta... isso faz as pessoas pensarem! e se for realmente tocada pela situação... começará a escutar!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...