Seguidores, siga-os também... vale a pena

It's Really true!! Funciona mesmo!!

Curta! Enjoy it!
O mundo com olhar de criança...


Lembre-se de visitar os blogs parceiros e amigos, podendo acompanhá-los a partir deste blog, na seção abaixo dos posts.
Confira os vídeos!
Sinta-se à vontade!

Sua opinião é muito importante, por isso mesmo, comente!

segunda-feira, 30 de março de 2009

AS SUPERCRIATURAS DESTA OU DE OUTRA DIMENSÃO: uma conversa sobre anjos!


ANJO é um termo geral que denota um subalterno divino superior aos homens.
Isto é assim nas religiões monoteístas, por exemplo, Islamismo, Judaísmo, Cristianismo, bem como também presente Zoroastrismo.
No mundo politeísta os níveis desses super-seres crescem de modo continuo.
Entretanto, nas crenças monoteístas, há clara distinção entre Deus, de um lado, e tais super-seres do outros.
Deus é Deus. Os super-seres são criaturas, ainda que poderosas em relação a nós, os humanos.
Os anjos figuram no nível mais baixo da “hierarquia” judaico-cristã dos super-seres.
No politeísmo não existe quase distinção entre “Deus” e os super-seres; em relação aos quais os “anjos” são sempre os mais simples.
Anjo vem do grego “iiyy€Xos”, que quer dizer simplesmente “mensageiro”.
No Velho Testamento hebraico temos “mal'akh”, que, por vezes é anjo, e, em outras ocasiões é apenas um mensageiro humano, dependendo do contexto.
No desenvolvimento da fé em Israel se vê um crescendo na descrição dos super-seres.
Elohim passou a ser quase exclusivamente usado para designar Deus, posto que em tempos remotos Elohim havia também designado “deuses”, e os bne ‘Elohim, “filhos de Deus”, ou bne Elim, que eram “os filhos dos deuses” — são criaturas pertencentes ao grupo dos super-seres, conforme o Gênesis.
Entretanto, no período pouco posterior ao Exílio em Babilônia, bem como durante de depois do Exílio, que os super-seres cresceram na percepção dos autores humanos da Bíblia.
Isaías, Ezequiel, Daniel e Zacarias são os que mais expandem as noções acerca dos anjos entre os Profetas.
Todavia, no chamado período Inter-Testamental que surgiram as primeiras hierarquias de super-seres.
Antes de ter havido o desenvolvimento da idéia dos super-seres durante o período do Exílio, a idéia de anjo ocorria ligada basicamente ao Mal'akh Yahweh, ou “Anjo do Senhor”; ou do Mal'akh Elohim, ou “Anjo de Deus”.
O Mal'akh Yahweh é a manifestação do próprio Deus na forma de homem. Muitos dizem ser um antropomorfismo que designaria o Cristo Eterno.
Mal'akh Yahweh é usado no Velho Testamento a fim de designar Deus mesmo. Os que viram Mal'akh Yahweh são os que o Velho Testamento dizem que viram Deus mesmo.
Mal'akh Yahweh aparece para Abraão, Hagar, Moisés, Gideão, etc.
A mera existência de uma figura como Mal'akh Yahweh, O Anjo do Senhor, no Velho Testamento, já indicava que mesmo na Velha Aliança já se intuía a Singularidade Complexa do Ser de Deus.
Mal'akh Yahweh é quem aparece como Deus a Abraão, é quem luta com Jacó, é quem discursa chamando o povo ao arrependimento em Boquin, é quem ergue a mão para destruir Jerusalém nos dias de Davi; entre tantos outros textos e ocasiões relatadas na Bíblia.
Entretanto, desde o Gênesis se tem a presença do Querubim que guardava o caminho da Árvore da Vida.
Em Isaías o Serafim aparece pela primeira vez; e é mostrado como um super-ser vivendo em adoração a Deus.
“Os exércitos dos céus” acaba sendo o modo mais repetido no Velho Testamento como generalização da comunidade dos super-seres.
Conhecendo-se um pouco da anjologia dos Babilônios, bem como da anjologia Zoroastrista, fica difícil não pensar que houve trocas e absorções mutuas dos dois lados. Afinal, é nesse período que Ezequiel expande a noção mais do que ninguém antes dele.
Durante o período Persa e Grego, os super-seres cresceram mais ainda.
Ganharam nomes, como Gabriel e Miguel; sendo que o último é o guardião de Judá.
No livro hebraico de Tobias aparece Rafael, o super-ser das curas.
Em Daniel o super-ser Miguel luta contra os super-seres da Pérsia, e os vence.
Satanás aparece explicitamente como Acusador em Jó e Zacarias. No mais a alusão ao seu nome parece apenas designar qualquer tipo de oposição, mas não designa um supre-ser.
É no livro de Tobias que Asmodeu aparece como demônio perverso.
O desenvolvimento de uma doutrina organizada acerca de anjos, todavia, aparece 200 anos antes de Cristo, especialmente com o aparecimento do Livro de Enoque.
O livro da Ascensão Isaías, texto “pseudo-epigrafe” ou “apócrifo” fornece muita informação sobre o assunto do ponto de vista do que prevalecia nas crenças populares dos judeus.
No Novo Testamento os super-seres também têm nomes, não na profusão que se pode ver no Livro de Enoque, por exemplo.
Lê-se de Gabriel, Miguel, Satanás, Belzebu, Abadon e Apolion.
Entretanto, no Novo Testamento se pode ver uma Hierarquia dos Super-seres.
Entre os cristãos dos séculos 4º e 5º a noção de anjos veio dos trabalhos atribuídos a Dionísio, o Areopagita, o que é obviamente um texto do estilo “pseudo-epigrafe”.
Aqui apresento uma comparação entre as noções dos super-seres no trabalho de Dionísio, em comparação com as hierarquias de anjos do VT e do N.T.
As Esferas de Hierarquia dos Super-seres:
Conselheiros Celestiais: (Fonte: VT)
Hierarquia de Dionisio Hierarquia do V.T. e do N.T.
1 Serafim Serafim
2 Querubim Querubim
3 Tronos Ophanim (Tronos ou Rodas)


A segundo esfera de hierarquias:
Governadores Celestiais: (Fonte: N.T.)
Hierarquia de Dionisio Hierarquia do V.T. e do N.T.
4 Dominios Tronos (Grego: - thronos)
5 Virtudes Dominios (Grego - kuriotes)
6 Poderes Principados (Grego - arche)

A terceira esfera de hierarquias:
Mensageiros celestiais.
Hierarquia de Dionisio Hierarquia do V.T. e do N.T.
7 Principados Poderes (Grego - exousia)
8 Arcanjos Arcanjos
9 Anjos Anjos

A Hierarquia angelical dos Judeus
De acordo com a Enciclopédia Judaica, “Anjologia”, Maimonides, no seu trabalho "Yad ha-Chazakah: Yesodei ha-Torah", afirma que há 10 hierarquias de super-seres.
Eis a lista segundo o ranking dos super-seres segundo os judeus.
Ranking Anjo Referências
1 Chayot Ha Kadesh
2 Ophanim
3 Erelim Isaías 33:7
4 Hashmallim Ezequiel 1:4
5 Seraphim
6 Malakhim Mensageiros, anjos
7 Elohim "Seres Divinos"
8 Bene Elohim "Filhos de seres divinos"
9 Cherubim Talmud - Hagigah 13b
10 Ishim "Seres angelicais com aparencia de homens", Daniel 10:5

Meu objetivo na presente narrativa é apenas mostrar e afirmar uma coisa:

Os Super-seres [ou entes Celestiais, ou, numa generalização, os anjos], são entes de outra dimensão, mas não são criaturas cuja realidade dependa da revelação Escrituristica.
Ou seja:
Eles são e sempre foram vistos durante toda a história da Civilização ou desde sempre.
Ora, isto posto, outra hora, quero conversar com você sobre esses Super-seres que sempre estiveram aqui entre nós, que habitam outra dimensão ou mundo paralelo, e que têm formas distintas entre si; aparentemente pertencendo a ordens universais múltiplas; sendo compostos de entes bons e outros perversos.
Eu creio que muito do que hoje chamamos de Óvnis são manifestações desses super-seres que, na Bíblia e na História da Civilização, sempre apareceram ante os sentidos e percepções objetivas dos povos; tanto é assim que, bem ou mal, estão presentes em todas as culturas, das mais primitivas às mais modernas; e, agora, com outras designações e com outra terminologia, também no meio desse nosso mundo Pós-Moderno.
Apenas para começar a pensar.
Sim! Apenas pensar!

Caio Fábio
28 de março de 2009
Copacabana
RJ

terça-feira, 24 de março de 2009

APONTAMENTOS SOBRE UMA VIDA EXTRAVAGANTE


Esta é uma geração de cristãos que tem buscado novas formas de espiritualidade, novos modelos de culto e se preocupado em descobrir novas maneiras de adorar ao Eterno. Nessa busca, surgiu há alguns anos um movimento que ficou conhecido como adoração “extravagante”, uma tendência que abandona os padrões formais, e busca maior liberdade e espontaneidade.

Confesso que nunca experimentei nada novo em matéria de adoração, não tive arrebatamentos que me levassem ao terceiro céu, e não consigo repetir inúmeras vezes o mesmo refrão de um cântico. Mas eu sei que para Deus, adoração, antes de tudo, é vida, e dela não pode estar separada.

Numa recente entrevista, o pastor e escritor Eugene Peterson, disse que as pessoas que mais o incomodam são aquelas que perguntam o que precisam fazer para ser “mais espirituais”.E ele responde: - “Esqueça esse negócio de ser espiritual. Que tal amar seu marido? Isso é um bom começo”. Porém, ele conclui desalentado: “Mas ninguém quer ouvir isso. Ninguém quer pensar em aprender a amar os filhos e aceitá-los do jeito que são”.

Espiritualidade no sentido bíblico nada tem a ver com uma forma diferente de orar, nem em ser batizado com a água de um determinado rio, nem ouvir o sonido do “shofar”, buscar êxtases, ou ser um asceta no mundo.

Desejas realmente agradar ao Único Senhor em tudo, e partilhar de Sua verdade aos homens? Buscas de fato uma “espiritualidade” que agrade profundamente ao Rei de toda a Terra? Anseias por alcançar aquilo que é chamado por muitos, de intimidade com Deus?Eis aqui alguns apontamentos que podem ser úteis nesse propósito:

Em primeiro lugar, ama extravagantemente. Ama sem esperar reciprocidade. Ainda que tenhas dons extraordinários, nunca te esqueças que é pelo amor e através do amor que o mundo olhará para ti como um autêntico discípulo de Jesus.

Perdoa sem reservas. Lembra-te que um dia fostes um devedor que não tinha como saldar uma dívida impagável, mas Jesus foi e a rasgou na cruz. E ainda o recebeu com teus defeitos e pecados.

Confessa-te pecador!Reconheça que em ti não reside bem algum, e se porventura enxergarem algo bom em sua vida, declare sem pestanejar que isso é integralmente obra do Espírito Santo.

Delicia-te com o fato de, mesmo sendo pobre e desprezível aos olhos do mundo, ser possuidor da maior honraria que uma pessoa pode receber: ser chamada de filho de Deus.

Apazigua o teu coração na maravilhosa Graça divina, pois através dela não há nada que você possa fazer para ser mais amado pelo Eterno, e mesmo diante dos teus erros Ele continua a amá-lo de igual modo.

Lambuza-te com a Palavra, coma-a prazerosamente e sem prevenção. Digira em tuas entranhas esse santo maná e deixa-a manifestar-se nos teus membros na forma de uma vida em tudo agradável a Deus.

Conspira tenazmente contra toda forma de injustiça. Não te submetas aos dominadores, e não te cales diante dos poderosos.

Oferta generosamente! Não porque temas que “gafanhotos” saltarão das páginas do Antigo Testamento para assombrar tua vida, mas porque possuis em ti o espírito do Evangelho que considera tudo pertencente ao Pai. Por isso, ofereça a Deus, despojadamente, tudo o que és.

Rejeita qualquer forma de discriminação. Pratica o amor inclusivo de Jesus e seja como o servo que sai pelas ruas e becos da cidadetrazendo os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos” (Lc 14.21) para que a Casa do Pai fique cheia. E Ele se alegrará em ti.

Confronta destemidamente os pregadores da prosperidade, os enganadores dos simples, e os que pensam ser alguma coisa, e nada são. Desmascara-os publicamente e não temas se disserem: “não toqueis o ungido do Senhor”.Lembra-te: és tu que verdadeiramente tem a unção do Alto, não eles.

Depois de tudo isso (e somente depois), já não importará mais a forma da tua adoração, não importará se ajoelhas, se levanta as mãos, se entoa canções audíveis ou apenas balbucia trechos bíblicos quase inaudíveis, se balanças suavemente o teu corpo ao ritmo da música, ou se permaneces imóvel como que vendo o Invisível... sim, vá em paz, o Eterno já aceitou a adoração da tua vida, antes mesmo que adentrasses no templo do Senhor.

Pr. Daniel Rocha, pastor da IM em Itaberaba

Extraído do site da Metodista

sábado, 21 de março de 2009

Iron Maiden, Korn, Raimundos... Roqueiros de Deus ou do diabo?


PDF Imprimir E-mail


WOOW!!!

Texto bem bacana que li no site Cristianismo Criativo...


Image
Nico McBrain

por Joanna Brandão

Roqueiros, como o baterista do Iron Maiden, antes idolatrados por multidões de fãs, agora cultuam a Jesus Cristo.

Nico McBrain, baterista do Iron Maiden: “Um dos maiores truques do Diabo é fazer você acreditar que ele não existe”

A banda inglesa Iron Maiden, que estourou nos anos 80 com o estilo Heavy Metal de fazer rock, desembarca no Brasil na próxima quinta-feira, dia 12, para se apresentar pela turnê Somewhere Back In Time. O grupo, precursor do estilo e considerado um dos melhores do gênero, conta novamente com a sua formação original. A popularidade entre os roqueiros se deu através de sua maneira única de soar em canções, letras e capas de discos. O nome “Iron Maiden” é inspirado em um instrumento de tortura medieval, o qual se acha representado no filme O Homem da Máscara de Ferro. Suas letras exploram temas que vão do ocultismo a lendas, filmes, histórias de assassinatos, o escuro e a simbologia do número 666. Além disso, as capas dos álbuns são singulares, pois exibem sempre o mascote da banda, Ed, um morto vivo, em cenas sugestivas aos temas de cada disco.

Diante dessa atmosfera “pesada”, seria possível pensar em algum espaço para manifestações cristãs? Olhos e ouvidos voltados para Deus? Sim! O baterista da banda, Nico McBrain, é um exemplo de músicos de rock bem sucedidos, com carreiras mundialmente consolidadas e que, ao longo de suas vidas, se converteram ao cristianismo. Chocante? Inesperado? Talvez nem tanto. Ele próprio afirma que quando alguém se torna cristão, não está livre do pecado, mas deve buscar ao máximo uma vida longe deste mal.

A pergunta mais comum feita ao baterista é: Como você pode tocar em um grupo que apresenta uma canção chamada Number of the Beast (Número da Besta)? Nico afirma que a canção é sobre uma história que se encontra no livro das Revelações. “Um dos maiores truques do Diabo é fazer você acreditar que ele não existe”, justifica o baterista.

Nico McBrain é um exemplo incrível de conversão de músicos que, pela própria natureza da profissão, lidam com uma série de fatores que muitas vezes os afastam de uma vida ao lado de Deus. Shows, fãs, turnês exaustivas e o universo das drogas e comportamentos promíscuos, muitas vezes associados ao estilo de vida no rock.

Muito conhecidos na história da música mundial e, especialmente do rock, são os casos de músicos que acabam deixando a vida precocemente de forma conturbada e perturbadora. O líder do grupo Nirvana, Kurt Cobain, no dia 5 de abril de 1994, atirou na própria boca e deixou o mundo com uma filha ainda criança. Sua carreira foi marcada por um sucesso meteórico, desgastes emocionais, depressão, drogas e, em particular, o vício pela heroína.

Image
Brian e sua filha
Mais conversões no rock - Felizmente, ainda é possível citar outros casos de músicos do rock que, como Nico McBrain, seguiram o caminho da salvação física e espiritual a partir do contato com os valores cristãos.

Brian Welch, ex-guitarrista do grupo Korn, é um outro bom exemplo de roqueiro convertido. No final de 2008, ele lançou o seu primeiro disco solo, Save Me From Myself. No álbum, o músico aborda questões particulares da sua vida como a luta para deixar as drogas, os motivos que o levaram a sair da banda e seu encontro com Deus.

No Brasil, temos a surpreendente história do músico Rodolfo Abrantes, ex-vocalista da banda de hard-core Raimundos. No auge de sua carreira, o roqueiro sentiu o vazio em que vivia e se converteu. “Estava sozinho, morando em São Paulo, com uma vida louca, trezentas namoradas por aí, drogas a valer, balada todos os dias, fãs de montão, disco de platina, dinheiro na conta, agenda lotada de shows, mas completamente infeliz”, relata o cantor.

Em 2006, já convertido, Rodolfo lançou seu primeiro disco voltado para Deus, Santidade ao Senhor. Além disso, ministra cultos na igreja Bola de Neve Church e viaja junto de sua mulher para pregar a Palavra. “Quer ter vitória? Anda no caminho do Senhor, obedeça, leia a Bíblia e siga seus conselhos. Hoje não bebo, não é porque não possa, é porque não quero. Quero ter comunhão com o Pai”, aconselha o músico.

A exótica e mística Baby do Brasil - ex-Baby Consuelo e ex-integrante do grupo Novos Baianos - também impactou a muitos com sua conversão nos anos 90, recebendo, inclusive, muitas críticas. A estas, a cantora responde em uma de suas músicas: “E não importa o que vão pensar de mim. Eu quero é Deus. Eu quero é Deus.”

Fonte: Cristianismo Hoje

quarta-feira, 18 de março de 2009

Vácuo...

Lugar destituído de matéria, segundo o Aurélio...

Na escola aprendi que o único lugar que não possui ar é no vácuo. Ausência de ar.

Sem ar, haveria vida? Pelo menos, para nós não, correto?

E sem ar, logicamente não há som, pois ele somente se propaga através do ar.

E sem som, também não haveria música.

Logo, sem música não há vida.

Ou haveria?

Pronunciamento do Colégio Episcopal acerca do Acordo entre a República Federativa do Brasil e a Santa Sé relativo ao Estatuto Jurídico da Igreja Catól

O Acordo feito no dia 13 de novembro de 2008 entre a República Federativa do Brasil e a Santa Sé (Igreja Católica) tem gerado muitas discussões na imprensa. Teme-se que o acordo, firmado para estabelecer, entre o governo brasileiro e a Igreja Católica, direitos e obrigações mútuas, represente uma ameaça à laicidade e autonomia do Estado Brasileiro. Para este acordo ter plena validade ele tem de ser aprovado pelo Congresso Nacional (Senado Federal e Câmara dos Deputados). Por isso, a Igreja Metodista vem se manifestar sobre este tema, mediante um Pronunciamento do Colégio Episcopal.


DECLARAÇÃO DO COLÉGIO EPISCOPAL DA IGREJA METODISTA

O Colégio Episcopal vem a público expor o seu posicionamento em face dos termos do Acordo entre a República Federativa do Brasil e a Santa Sé, relativo ao Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil firmado no último dia 13 de novembro pelo Ministro do Exterior do Vaticano, Dom Dominique Mamberto, e pelo Chanceler Celso Amorim. Este ato foi firmado durante a visita do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Papa Bento 16.
Considerando-se os termos do Acordo:

a) Reafirmamos o direito da liberdade religiosa como um dos pilares indispensáveis de uma sociedade democrática e, nesse sentido, uma das conquistas determinantes da democracia brasileira.
b) Proclamamos a importância constitucional do Estado Laico, ou seja, levando-se em consideração a liberdade de escolha religiosa. Igualmente, defendemos a separação entre o Estado e a Igreja.
c) Entendemos que o Acordo entre a República Federativa do Brasil e a Santa Sé fere os preceitos Constitucionais diante de seu Art. 19 da Constituição Brasileira de 1988.
d) Apelamos ao Senado Brasileiro a não aprovação do presente acordo entre Santa Sé e República Brasileira, a fim de garantir os preceitos Constitucionais.
e) Por fim, declaramos, enquanto Igreja Metodista, nosso compromisso com a vida manifestada em Jesus Cristo, em termos de justiça, paz,solidariedade, cidadania e tolerância.
Aproveitamos a oportunidade, para intercedermos em favor de todo povo de Deus a fim de que se promova um discipulado transformador, à luz do Evangelho de Cristo e das demandas do Reino.


São Paulo, 4 de março de 2009.


Bispo João Carlos Lopes.
Presidente do Colégio Episcopal.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Linguagem?

De acordo com Koch (2003) podemos ter três concepções principais de linguagem historicamente construídas: linguagem como mera representação do mundo e do pensamento humano (concepção mais antiga), o homem a utiliza para representar para si o mundo, sendo assim, a língua representa o pensamento humano e o conhecimento de mundo; linguagem como um instrumento transmissor de informações, necessitando de um emissor e de um receptor, que comunicam mensagens entre si através da língua; e linguagem como ação inter-individual finalisticamente orientada, como processo, como lugar de interação social e estabelecimento de vínculos, tendo, para Lalande (1999), a função de expressão do pensamento interior e exterior, sendo exteriorizada (ou expressada, entendendo expressão como um meio pelos quais se comunicam os sentimentos, as idéias e/ou vontades) por diferentes espécies, como a fala, o corpo... A Linguagem, para Heidegger (Beaini, 1986), é a fonte de expressão humana (e não o contrário) e, somada à Arte, torna-se a união essencial do Ser com a capacidade de relacionar-se e revelar-se. "A Linguagem é a casa do Ser" (Heidegger)

terça-feira, 3 de março de 2009

Rondonia

Fizemos o Anel de Prata lá em Rondônia - em Ariquemes e Ji-Paraná...

Cara, que doidera... pessoal muito na pegada! Bom demais!!!

E conheci um pessoal da Metodista de lá! Galera abençoada! do REMA!!

Bom demais...

conheçam mais em www.aneldeprata.com

Compartilharei todas as experiências com a galera que convivo aqui, aprendi muito com o pessoal de Rondônia, muitas bençãos...

Inclusive fiquei com a turma de 6 a 12 anos na hora do culto do Pr Gerson! Anel de Prata Kids! Garotada show de bola (a Stella deu pra dizer isso toda hora! Figuraça!!!)


Ministrei tb com o Fernando Martins em Santa Isabel, em uma Centro de Recuperação, que se mantém com a ajuda da igreja O Brasil Para Cristo. Uma experiência marcante e revitalizante, fortalecedora da fé... Estarão sempre em minhas orações...

Sábado agora, dia 07, iniciarei meu curso no CEMEC de evangelista... ansioso demais para isso...

no mais

PAX
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...